terça-feira, 17 de agosto de 2010

No dia da eleição, título e documento com foto.

O TSE e a mídia corporativa não estão mencionando o fato de que esse ano, será obrigatório apresentar o título de eleitor acompanhado de documento com foto, aos mesários, no dia de eleição.
Esse blog acompanha o movimento expontâneo, a campanha cidadã de informação lançada por Emir Sader em seu blog, do qual extraí o texto abaixo:

Campanha cidadã de informação dos eleitores
Por Emir Sader

Quando o quadro eleitoral vai ganhando um formato que dificilmente parece poder ser alterado significativamente, o único fator que pode alterá-lo vêm, não da esfera das opiniões dos cidadãos, mas de uma lei absurda, aprovada e sancionada, que obriga os eleitores, para poderem votar, portar um outro documento, com foto. Independentemente da intenção de evitar os votos fraudados, a decisão é sumamente discriminatória, afetando diretamente a milhões e milhões de eleitores mais pobres, que não dispõem da informação e/ou de documento com foto ou de possibilidade de se deslocar de novo até suas casas para poder retornar a tempo de votar.

A falta de campanha maciça de informação por parte das autoridades responsáveis pelo processo eleitoral só agrava a situação, revelando má fé ou falta de consciência das conseqüências da lei e dos danos que ela pode causar no exercício do direito de voto por milhões de cidadãos brasileiros.

Na primeira eleição de Evo Morales, na Bolívia, centenas de milhares de pessoas não puderam votar por uma decisão de que os que não tinham votado na eleição municipal anterior, teriam que se reinscrever. A informação circulou pouco e justamente eleitores pobres, do Evo, não puderam exercer seu direito de voto. Felizmente a maioria obtida pelo Evo foi suficiente para que triunfasse com a maior votação que um presidente havia obtido, mas o MAS deixou de eleger a governadores e a uma bancada parlamentar maior por essa circunstância.

No Brasil, até hoje ainda há setores significativos da população – basicamente mais pobres, grande parte deles vivendo no campo – que querem votar no candidato do Lula, mas que só agora, lentamente, vão canalizando esse voto para a candidata do Lula, Dilma. Podemos imaginar a dificuldade para que esses setores possam ser informados da necessidade de portar documento com foto para votar. Muitos sequer têm esse documento, seja por falta de recursos para tirá-lo, seja por falta de consciência da importância e falta de tempo de providenciá-lo.

A imprensa, alinhada maciçamente com o candidato da direita e consciente de que os setores mais diretamente afetados são bastiões de voto do governo e da Dilma, nem tocam no tema, em atitude que revela, mais uma vez, como não apenas informam mal e errado a população, como também desinformam pelo silêncio.

Não podemos contar com esses meios. Temos que organizar, desde já, uma ampla campanha cidadã de massas para fazer chegar essa informação a todos os eleitores, de que necessitam indispensavelmente levar um documento com foto para poder votar. É responsabilidade da imprensa pública, de todas as organizações democráticas e populares, de todas as candidaturas desse campo e de toda a militância, organizar formas de difusão ampla dessa informação, com criatividade e com eficácia, para evitar que uma determinação absurda e a irresponsabilidade dos setores que deveriam encarregar-se da informação do eleitorado, falseiem a vontade dos eleitores brasileiros.

(Aproveito para reiterar-lhes a informação que o contacto comigo também pode ser feito pelo twitter: http://www.twittter.com/emirsader)

2 comentários:

GUERRILHEIROS VIRTU@IS disse...

Ainda há tempo, temos que deixar claro que a Lei foi criada para evitar q outras pessoas votassem por pessoas vivas ou já mortas, visto o documento dos TRE's não terem fotos. Mas até 2008, um sdocumento que provasse q vc é vc já bastaria para q se exercesse o direito do voto!
A lei quis coibir uma coisa e foi levada ao outro lado!
A JUSTIÇA ELEITORAL não pode fechar os olhos para esta realidade.
Q seja possível votar desde q se prove q vc é vc, é esta a real inteção da LEI!

GUERRILHEIROS VIRTU@IS

Cristiano Freitas Cezar disse...

Excelente observação.
Votei diversas vezes portando somente documento com foto, não lembro de ter apresentado o Título de Eleitor.
Essa obrigatoriedade torna o processo estranho, anida mais sendo desacompanhado de uma campanha informativa maciça, faltando tão pouco tempo para as eleições.
Com documento com foto, identifica-se o eleitor, mesmo que esse não porte o Título.
Toda a iniciativa para prevenir fraudes é válida, mas se provocarem transtornos ou inviablizar o exercicio do voto, devem ser previamente esclarecidas, com ampla divulgação.
Abraços.