segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Sacco e Vanzetti.

Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti, foram dois imigrantes italianos, anarquistas, executados em 23 de agosto de 1927, nos Estados Unidos da América, injustamente acusados de assalto e assassinato.
Mesmo com evidências contundentes de sua inocência, como o cartão ponto de Nicola Sacco, o testemunho de funcionários da representação diplomática italiana, que comprovou sua visita, na tarde do crime, a confissão do português Celestino Madeiros, que afirmou ter participado da ação pela qual foram condenados os anarquistas, Sacco e Vanzetti foram assassinados.
Durante um período de intensas manifestações xenófobas, praticadas pelo próprio governo (deportações em massa, prisões arbitrárias, torturas e assassinatos), a caça às "bruxas vermelhas" tomou forma de execução política nesse famoso caso, que mobilizou a opinião pública internacional em prol dos acusados (protestos, muitos violentos em toda a Europa, Argentina, Brasil, países asiáticos e nos Estados Unidos). No ano de 1977, Sacco e Vanzetti foram reabilitados, por decisão do Governador de Massachussets Michael Dukakis, em decisão queos considerou inocentes, condenados por um julgamento parcial.
A execução política, praticada por um ente federado, da maior potência econômica do planeta, foi retratada no brilhante filme "Saco e Vanzetti", de 1971, dirigido por Giuliano Montaldo, com a brilhante trilha sonora do mestre Enio Morricone. A canção título é interpretada por Joan Baez. O filme esteve proibido no Brasil, por vários anos, pela censura da Ditadura Militar.
Abaixo, a bela obra de Morricone para o filme, baseada em um trecho de uma carta, de Nicola Sacco, na qual despede-se de seu filho. A carta pode ser lida aqui, em espanhol (11).


Lembrei-me desse caso, e do excelente filme produzido, ao ler a seguinte denúncia, publicada no blog RS URGENTE:

A Federação Anarquista Gaúcha envia a seguinte nota:
Neste exato momento a Polícia Civil do Rio Grande do Sul sob o comando da governadora Yeda Crusius promove diligência na sede da Federação Anarquista Gaúcha (FAG). O mandado de segurança do governo busca apreender material de propaganda política contra o governo acusado de corrupção. Os cartazes abordam o empréstimo junto ao Banco Mundial e o assassinato do sem-terra Elton Brum. Este ato é pura provocação do Executivo gaúcho, atravessado por atos de corrupção e situações até hoje sem explicação, como a morte de Marcelo Cavalcante em fevereiro desse ano. Conclamamos as forças vivas da esquerda gaúcha para reagirmos de forma unificada contra mais esse desmando.
Segundo o mesmo relato, militantes da Federação Anarquista foram encaminhados, agora à tarde, para depor na 17 Delegacia de Polícia, localizada na rua Voluntários da Pátria, 1500, perto da Rodoviária de Porto Alegre. A Polícia apreendeu material impresso, chapas de cartazes e inclusive a CPU do computador da sede. Diante disso, a Federação Anarquista afirma:
“Era de se esperar uma reação como essa, em função da FAG sempre haver atuado com modéstia, mas tenacidade, sendo das mais aguerridas em todas as circunstâncias na defesa dos interesses e objetivos estratégicos do povo gaúcho. Vamos fazer uma denúncia pública e provar para as classes oprimidas do RS a natureza desse ataque vil sob ordem de um governo acusado dos mais graves crimes”.
Conversei por telefone com Cândida, militante da Federação Anarquista, e ela me deu o seguinte relato. A Polícia entrou na sede da Federação (na rua Lopo Gonçalves, Cidade Baixa), hoje à tarde, munida de um mandado de busca e apreensão para recolher material de propaganda contra a governadora Yeda Crusius, que decidiu mover uma ação por injúria, calúnia e difamação. A ação teria sido motivada por cartazes onde a governadora é responsabilizada pelo assassinato do sem terra Elton Brum da Silva. Além dos cartazes, segundo Cândida, foram apreendidos outros materiais e documentos que não tem relação com esse caso. Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão em Gravataí, em um endereço que aparece no site da entidade. Há dois advogados acompanhando os integrantes da Federação.

Nota do blogueiro: A linha político-policialesca que culminou na prisão, no julgamanto temerário, e na execução sumária dos militantes Nicola Sacco e Bartolomeo Vanzetti, encontra eco no estado do Rio Grande do Sul, e no governo intolerante e corruto lá instalado.

Anarquistas presos, em 1929 por serem anarquistas, hoje, por serem anarquistas e protestar contra os desmandos e a roubalheira no Estado, em um atentado ao estado de direito.

O filme "Sacco e Vanzetti", está disponível para download nos links abaixo. no formato rmvb, em seis partes:

http://rapidshare.com/files/69780754/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part1.rar

http://rapidshare.com/files/69852473/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part2.rar

http://rapidshare.com/files/69862121/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part3.rar

http://rapidshare.com/files/69886660/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part4.rar

http://rapidshare.com/files/69897817/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part5.rar

http://rapidshare.com/files/69901054/Sacco_e_Vanzetti__Stirner_DVDRip_.part6.rar

Um comentário:

Emerson disse...

Excelente filme!!