terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Programa de Extermínio

video

No vídeo que reproduzo acima, o médico norueguês, Mads Gilbert, em entrevista para a rede CBS, fala sobre o massacre em Gaza. Como trabalhador de um hospital local, tem um ângulo muito especial para relatar o que está ocorrendo.

Abaixo, partes que consegui traduzir da entrevista:

Gilbert -"Há pouco mais de uma hora, o mercado público de Gaza City foi bombardeado, deixando em torno de dez a quinze mortos. Na mesma hora uma bomba caiu sobre um prédio residencial, onde crianças brincavam no telhado, causando mais mortes de crianças."

Afirma que Israel havia intensificado os bombardeios a noite, fazendo um número próximo a quinhentas vítimas em Gaza e o número de mortos passa dos 50% de mulheres e crianças.

A jornalista pergunta se os hospitais tem condições de atender essa demanda.

Gilbert relata que os "médicos estão fazendo plantões de onze horas, eu mesmo não durmo a três dias. O hospital está completamente lotado. Estamos correndo a seis horas direto. Há ferimentos que você pensa não ver nesse mundo: crianças com o abdômen aberto, pernas tão feridas que não temos alternativa senão amputar ambas, e os braços."

"Os únicos ferimentos que vimos são causados a civis, palestinos, que vivem em gaza. O que precisamos agora não é de mais médicos e mais drogas, o que precisamos agora é que parem com os bombardeios imediatamente. Isso não pode continuar, é um desastre."

A repórter questiona sobre os civis que o médico citou, sobre as mulheres e as crianças, e pergunta se viu alguma baixa dos guerrilheiros do Hamas?

"Para ser honesto, vi um militar ferido, nesse período soube de uns dez, entre centenas de civis feridos. Então, qualquer um que tente relatar que são crimes, que é uma guerra contra outro exército, está mentindo. isto é uma guerra contra a população civil, palestinos de Gaza, e podemos provar isso com os números.* Devemos lembrar que a população de Gaza é muito jovem e que 80% sobrevivem com ajuda da ONU. Logo é um povo muito jovem e pobre, que não pode escapar para lugar algum, por estar em uma espécie de gaiola."

"Então eles bombardeiam 1,5 milhão de de pessoas em uma gaiola, e pessoas pobres, jovens, e você sabe, não há como separar civis e combatentes nesse tipo de situação."**

Nota: Então massacra a todos. A entrevista de Mads Gilbert, deixa bem claro para nós o que a grande mídia corporativa teima em esconder: Não se trata de uma guerra entre dois inimigos declarados, trata-se de um bem elaborado, programa de extermínio.

Israel não teme ninguém, tem o apoio (mesmo que velado) das principais potências mundiais, e escancarado dos EUA, que mantém impotente o organismo internacional de mediação e intervenção, a ONU, que hoje, numa mostra de como eles podem fazer o que querem, teve bases bombardeadas em Gaza.

O mundo não vai fazer nada, os organismos competentes provaram que não são mais competentes, o mundo árabe está dividido pra saber quem mais puxa o saco dos Estados Unidos, e ninguém tem coragem de tomar medida alguma, a não ser ver nos jornais, que mais um foguete palestino fez outro buraco no asfalto israelense.

*Grifo meu

**Entrevista realizada no dia 05 de Janeiro.

Nenhum comentário: