terça-feira, 1 de setembro de 2009

Uma única fonte. Para o pensamento único basta.

Como justificar o injustificável? Como se explica um homicídio cometido pela política de um governo? O jornal A Razão, da região de Santa Maria tem a resposta:

O terrorismo midiático apresenta uma reportagem, baseada em uma única "fonte", absolutamente "insuspeita", a do presidente do Sindicato Rural de São Gabriel e vice-presidente da Farsul, Tarso Teixeira, queapresenta resultados de um grupo que intitula "serviço de inteligência" dos produtores rurais.

Acompanhe o absurdo da "reporcagem" e suas fontes, no Blog do Berned.

2 comentários:

Anônimo disse...

clga sobre seu post no Amorim, discordo: É exatamente o contrário! O aumento da criminalidade EM SP, representada especialmente pelo recorde de assaltos ( http://bit.ly/DVuO7 ) é fruto DA “LETARGIA E INÉPCIA” DA PM PAULISTA, polícia ostensiva, responsável constitucionalmente por PATRULHAR E COIBIR AÇÕES CRIMINOSAS (VIDE ART. 144 EM http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituiçao.htm). O SECRETÁRIO DA (in)SEGURANÇA SR. PINTO (EX-OFICIAL DA PM), por ser ex-PM NUTRE ESPECIAL SIMPATIA PELOS COLEGAS COXINHAS, PORÉM SE HÁ UMA POLICIA LETÁRGICA É A PM, QUE NÃO INIBE ASSALTOS E FURTOS DE VEICULOS. PELO QUE SEI A FUNÇÃO LEGAL DE PATRULHAR E COIBIR ASSALTOS É DA PM. 130 MIL ASSALTOS E A PM NÃO É INEPTA??
A policia civil poderia ser responsabilizada pelo baixo índice de crimes solucionados (que é sua função primordial de investigar) MAS NUNCA PELO AUMENTO DA CRIMINALIDADE. O “ex-pecialista” portanto, está muito mal informado. Os programas de TV estão cheio dessas fraudes.

Cristiano Freitas disse...

A Letagria e inépcia, é de uma estrutura totalmente viciada, em criar o problema, e resovê-lo a pau (ver Heliópolis).
Quanto às polícias e suas responsabilidades, tens total razão, apensa chamo a atenção à obra do titereiro, do homem que deveria dar condições físicas e sociais (falo de salários mesmo), às duas esferas policiais, e investimentos reais em prevenção (educação, trabalho, saúde, dinidade) e não somente em reprimir.
Ou mesmo jogar uma polícia contra a outra, ambas armadas, em plena rua, para não receber grevistas e tão pouco falar em reajustes.
Grato pelo comentário.
Abraços.