terça-feira, 7 de abril de 2009

Da série "Caíram os butiás do meu bolso"!

Teses que resistem aos fatos.

Denise Nunes, para Correio do Povo

Se alguém espera mea culpa no Fórum da Liberdade, o primeiro após o caos global, há risco de frustração. Embora boa parte do mundo atribua a atual crise à política neoliberal e à chamada economia de mercado, os defensores do modelo não se abalam. No almoço de abertura da 22ª edição do evento houve até alerta para os riscos do intervencionismo. O alerta é coerente com a defesa do Estado mínimo ou enxuto. Mas, em plena crise, quando as intervenções governamentais se deram justamente para socorrer bancos, indústrias e tentar manter pelo menos algum grau de consumo e emprego em uma economia tombada pela especulação financeira, fazê-lo soa um tanto estranho. E ingrato, se considerarmos que houve brados privados por intervenção. O ex-presidente mexicano Vicente Fox foi mais longe. Após criticar governos que considera personalistas (Venezuela, Bolívia, Equador e Nicarágua), garantiu serem os liberais os entendidos sobre os bons rumos do desenvolvimento.

Nota do blogueiro: Mas de onde é que tiram um cagalhão como esse Vicente "Raposa"? E o pior é que foi eleito pra falar uma merda dessas.
Seus "çabios" acabaram coma economia mundial, e foram correndo pedir "penico" para o Estado. Esse Estado que seu grupo de "entendidos" quer destruir a todo o custo.
Linda a mistura, a bagunça ideológica que sai da cabeça de uma entidade como essa: Os que se opõe ao personalismo do modelo liberal são considerados personalistas.
Isso beira a demência.
Esse tipo de declaração ainda vai ser ouvida no tal "Fórum da Liberdade". Um evento que pela atual conjuntura mundial, pelos danos causados pela ideologia defendida em seus simpósios, deveria ser cancelado.
Liberdade, proferida por esses "çàbio$", tem uma conotação sinistra, torpe e vil: A liberdade para que indivíduos se apropriem do coletivo. Para que indivíduos recebam generosas benesses do Estado que querem reduzir (para os outros). Para que continue vigente a boa e velha putaria público-privada, na qual os que tem menos pagam mais, para que ops que tem mais possam ter mais ainda. E obviamente, os socorram quando perderem suas fortunas nos "cassinos do mercado".
E o pior de tudo é ter bocós que ouçam esses cretinos. E depois ainda votam neles.
É de derrubar os butiás do bolso.

2 comentários:

msilvaduarte disse...

Bem lembrado, Cristiano. Começou mais uma reunião anual dos almofadinhas com MBA. Na verdade, os caras estão tão sem moral que até a Zero Hora não lhes dá mais o espaço que dava.

Até pensei em escrever algo a respeito, mas com tanta cara de pau desses sujeitos, corro o risco de perder audiência por escrever sobre algo tão tosco.

Aliás, eu não teria feito triste figura se simplesmente tivesse republicado o que escrevi ano passado sobre este evento, cujo epitáfio bem que poderia ser "socializar prejuízos e privatizar lucros".

Cristiano Freitas Cezar disse...

Faz tempo que não tenho lido o diário-quase-oficial-tucano-dos-pampas, até por estar residindo em Goiás.
Mas se a ZH não está dando o "merecido espaço", aos seus pençadores, a moral deles realmente está "debaixo da cola de um burro".
Um grande abraço.