domingo, 2 de agosto de 2009

A corporatocracia e a gripe suína.

Do blog Diário Gauche:

A conexão entre os laboratórios farmacêuticos e a gripe A + Donald Rumsfeld

Sabia que os laboratórios norte americanos foram os que alertaram para a eficácia do Tamiflu (anti-viral para humanos) como remédio preventivo para a gripe A?Sabia que o Tamiflu apenas alivia alguns sintomas da gripe comum?

Sabia que a sua eficácia perante a gripe comum é questionada por grande parte da comunidade científica?Sabia que perante um suposto vírus mutante como se pensou ser o H5N1 (gripe aviária) e agora o H1N1 o Tamiflu apenas alivia a enfermidade?

Sabe quem comercializa o Tamiflu? Os laboratórios Roche.Sabe de quem a Roceh comprou a patente do Tamiflu em 1996? Da Gilead Sciences Inc.

Sabe quem era o presidente da Gilead Sciences Inc. e ainda hoje o seu principal acionista? Donald Rumsfeld, ex-secretário de Estado da Defesa dos EUA.

Sabia que Rumsfeld enquanto fez parte da administração Bush foi quem conduziu (inventou) o processo das armas biológicas e do antrax relacionado com o “11 de setembro” e o pretexto das armas biológicas que “fundamentou” a invasão do Iraque?

Sabia que a base do Tamiflu é uma planta chamada “anis estrelado”?

Sabe quem tratou de adquirir cerca de 90 % da produção mundial desta planta? A farmacêutica Roche.Sabia qua as vendas de Tamiflu passaram de 254 milhões em 2004, para mais de um bilhão em 2005 quando se declarou a “gripe das aves”?

Calcula quanto milhões mais poderá ganhar a Roche nos próximos meses se este negócio do medo se mantiver?

O resumo do conto do vigário é o seguinte:

Os amigos de Bush decidem que um fármaco como o Tamiflu é a solução para uma pandemia que ainda não se tinha desenvolvido. Ora, este produto não cura nem a gripe comum. Rumsfeld vende a patente do Tamiflu à Roche e esta multinacional paga-lhe uma fortuna quando a enfermidade não era ainda conhecida.

A Roche adquire 90 % da produção mundial de “anis estrelado”, a base do antiviral que recentemente se preparou para ser produzido em massa quando ainda não se falava em “gripe dos porcos” H1N1 (embora houvesse a experiência da gripe das aves H5N1). Os governos de todo o mundo são ameaçados com a pandemia, fazem o jogo das multinacionais e compram quantidades industriais do produto. Os contribuintes acabam pagando o medicamento e Rumsfeld e os seus apaniguados politicos prosperam com o negócio.

Alguém lembra do livro do John Le Carré, O jardineiro fiel, depois transposto para o cinema? Aquela "ficção" (que não era ficção) foi um embrião africano do presente caso mundial da gripe A.

Vídeo-documentário de Julián Alterini.

Nota do blogueiro: Medo, pânico infundado, histeria coletiva, a mídia produz condições para vendas em massa de qualquer tipo de tranqueira. Máscaras anti-gas e leis anti-povo após o 11/09, os suscessivos alertas anti-terror e a piada do Antraz. Máscaras cirúrgicas, e medicamentos de eficácia duvidosa após o pâncio causado pela mídia sobre a gripe do frango.

Estamos vendo algo novo agora? No vídeo acima temos várias cifras, sobre o número de mortos pelas gripes aviária e suína, com mortes causadas por doenças controláveis e pelo simples descaso dos governos. Os números são impressionantes. Os montantes destinados à cada caso, também.

Vale a pena conferir.

Um comentário:

Clovão disse...

Olha, é pra se refletir..e ficar BEM ATENTO!!!